Archive for the ‘Parábolas e Contos’ category

Poema: No caminho com Maiakovski

11/05/2010

Esse poema fala da importância de nos posicionarmos e mostrar o que sentimos diante de tudo o que acontece ao nosso redor.

No caminho com Maiakovski

“[…]

Na primeira noite eles se aproximam
e roubam uma flor
do nosso jardim.
E não dizemos nada.
Na segunda noite, já não se escondem;
pisam as flores,
matam nosso cão,
e não dizemos nada.
Até que um dia,
o mais frágil deles
entra sozinho em nossa casa,
rouba-nos a luz, e,
conhecendo nosso medo,
arranca-nos a voz da garganta.
E já não podemos dizer nada.”

Poema de Eduardo Alves da Costa

Parábola – O Porteiro do Puteiro

15/04/2010

É muito importante, leia com atenção.

O Porteiro do Puteiro

Não havia no povoado pior ofício do que ‘porteiro do puteiro’.

Mas que outra coisa poderia fazer aquele homem?

O fato é que nunca tinha aprendido a ler nem escrever, não tinha nenhuma outra atividade ou ofício.

Um dia, entrou como gerente do puteiro um jovem cheio de idéias, criativo e empreendedor, que decidiu modernizar o e stabelecimento.

Fez mudanças e chamou os funcionários para as novas instruções.

Ao porteiro disse:

– A partir de hoje, o Senhor, além de ficar na portaria, vai preparar um relatório semanal

Onde registrará a quantidade de pessoas que entram e seus comentários e reclamações sobre os serviços.

– Eu adoraria fazer isso, Senhor – balbuciou – mas eu não sei ler nem escrever!

– Aah! Quanto eu sinto! Mas se é assim, já não poderá seguir trabalhando aqui.

– Mas Senhor, não pode me despedir, eu trabalhei nisto a minha vida inteira, não sei fazer outra coisa.

– Olhe, eu compreendo, mas não posso fazer nada pelo Senhor.

Vamos Dar-lhe uma boa indenização e espero que encontre algo para fazer.

Eu sinto muito e que tenha boa sorte.

Sem mais nem menos, deu meia volta e foi embora.

O porteiro sentiu como se o mundo desmoronasse. Que fazer?

Lembrou que no prostíbulo, quando quebrava alguma cadeira ou mesa, ele a arrumava, com cuidado e carinho.

Pensou que esta poderia ser uma boa ocupação até conseguir um emprego.

Mas só contava com alguns pregos enferrujados e um alicate mal conservado.

Usaria o dinheiro da indenização para comprar uma caixa de ferramentas completa.

Como o povoado não tinha Casa de ferragens, deveria viajar dois dias em uma mula para ir ao povoado mais próximo para realizar a compra.

E assim o fez.

No seu regresso, um vizinho bateu à sua porta:

– Venho perguntar se você tem um martelo para me emprestar.

– Sim, acabo de comprá-lo, mas eu preciso dele para trabalhar … já que..

– Bom, mas eu o devolverei amanhã bem cedo.

– Se é assim, está bom.

Na manhã seguinte, como havia prometido, o vizinho bateu à porta e disse:

– Olha, eu ainda preciso do martelo. Porque você não o vende para mim?

– Não, eu preciso dele para trabalhar e além do mais, a Casa de ferragens mais próximaestá a dois dias mula de viagem.

– Façamos um trato – disse o vizinho.

Eu pagarei os dias de Ida e volta mais o preço do martelo, já que você está sem trabalho no momento. Que lhe parece?

Realmente, isto lhe daria trabalho por mais dois dias… aceitou.

Voltou a montar na sua mula e viajou.

No seu regresso, outro vizinho o esperava na porta de sua Casa.

– Olá, vizinho. Você vendeu um martelo a nosso amigo.

Eu necessito de algumas ferramentas, estou disposto a pagar-lhe seus dias de viagem,mais um pequeno lucro para que você as compre para mim, pois não disponho de tempo para viajar e fazer as compras.

Que lhe parece?

O ex-porteiro abriu sua caixa de ferramentas e seu vizinho escolheu um alicate, uma chave de fenda, um martelo e uma talhadeira. Pagou e foi embora.

E nosso amigo guardou as palavras que escutara: ‘não disponho de tempo para viajar para fazer compras’.

Se isto fosse certo, muita gente poderia necessitar que ele viajasse para trazer as ferramentas.

Na viagem seguinte, arriscou um pouco mais de dinheiro trazendo mais ferramentas do que as que havia vendido..

De fato, poderia economizar algum tempo em viagens.

A notícia começou a se espalhar pelo povoado e muitos, querendo economizar a viajem, faziam encomendas.

Agora, como vendedor de ferramentas,

uma vez por semana viajava e trazia o que precisavam seus clientes.

Com o tempo, alugou um galpão para estocar as ferramentas e alguns meses depois, comprou uma vitrine e um balcão e transformou o galpão na primeira loja de ferragens do povoado.

Todos estavam contentes e compravam dele.

Já não viajava, os fabricantes lhe enviavam seus pedidos.

Ele era um bom cliente.

Com o tempo, as pessoas dos povoados vizinhos preferiam comprar na sua loja de ferragens, do que gastar dias em viagens.

Um dia ele lembrou de um amigo seu que era torneiro e ferreiro

e pensou que este poderia fabricar as cabeças dos martelos.

E logo, por que não, as chaves de fendas, os alicates, as talhadeiras, etc . . .

E após foram os pregos e os parafusos…

Em poucos anos, nosso amigo se transformou, com seu trabalho, em um rico e próspero fabricante de ferramentas.

Um dia decidiu doar uma escola ao povoado.

Nela, além de ler e escrever, as crianças aprenderiam algum ofício.

No dia da inauguração da escola, o prefeito lhe entregou as chaves da cidade, o abraçou e lhe disse:

– É com Grande orgulho e gratidão que lhe pedimos que nos conceda a honra de colocar a sua assinaturana primeira página do Livro de atas desta nova escola.

– A honra seria minha – disse o homem.

Seria a coisa que mais me daria prazer, assinar o Livro, mas eu não sei ler nem escrever, sou analfabeto.

– O Senhor?!?! – disse o prefeito sem acreditar.

O Senhor construiu um império industrial sem saber ler nem escrever? Estou abismado.

Eu pergunto:

– O que teria sido do Senhor se soubesse ler e escrever?

– Isso eu posso responder – disse o homem com calma.

Se eu soubesse ler e escrever… seria o PORTEIRO DO PUTEIRO!!!

Geralmente as mudanças são vistas como adversidades.  As adversidades podem ser bênçãos.  As crises estão cheias de oportunidades.  Se alguém lhe bloquear a porta, não gaste energia com o confronto, procure as janelas.

Lembre-se da sabedoria da água:

‘A água nunca discute com seus obstáculos, mas os contorna’.

Que a sua vida seja cheia de vitórias, não importa se são grandes ou pequenas, o importante é comemorar cada uma delas.

Quando você quiser saber o seu valor, procure pessoas capazes de entender seus medos e fracassos e, acima de tudo, reconhecer suas virtudes.

Poema – NADA COMO O TEMPO

01/04/2010

Mário Quintana

Com o tempo, você vai percebendo que para ser feliz com uma outra pessoa, você precisa, em primeiro lugar, não precisar dela.

Percebe também que aquele alguém que você ama (ou acha que ama) e que não quer nada com você, definitivamente não é o “alguém” da sua vida.

Você aprende a gostar de você, a cuidar de você e, principalmente, a gostar de quem também gosta de você.

O segredo é não correr atrás das borboletas… é cuidar do jardim para que elas venham até você.

No final das contas, você vai achar não quem você estava procurando, mas quem estava procurando por você!

Mito da caverna

01/04/2010
Fonte: Wikipédia

O mito da caverna, também chamada de Alegoria da caverna,foi escrita pelo filósofo Platão, e encontra-se na obra intitulada A República (livro VII). Trata-se da exemplificação de como podemos nos libertar da condição de escuridão que nos aprisiona através da luz da verdade.

Alguns ainda chamam de Os prisioneiros da caverna ou menos comumente de A parábola da caverna.

(mais…)

Parábola do Quarto Escuro

31/03/2010

Havia um barracão totalmente escuro, nenhuma luz podia ser vista. E nele foram colocadas em diversos pontos daquele lugar pessoas para que estas encontrassem a porta de saída do lugar.

Durante aquela jornada estranha e desencontrada algumas pessoas acabam se encontrando por estarem indo em caminhos opostos. E uma tem certeza que a outra está indo em caminho errado, e tenta veemente convencer a outra de que o caminho e para “lá”.

Mas tão atordadas em suas certezas não percebem que não estão enxergando a outra pessoa também. Assim não sabem realmente qual é este “lá” que a outra pessoa está apontado.

Um certo momento, alguem desesperado começa a gritar o caminho que está fazendo:

– Estou indo para direita!

E todos vão cada para a sua direita, mas a direita de um não é a direita de outro, pois as pessoas estão cada uma olhando para um lado.

E todos começam a seguir o caminho que este primeiro “lider” começa a ditar. No entanto, depois de um tempo todos percebem que ninguem está chegando a lugar nenhum. Então surgem outros “lideres” que começam a discordar dos caminhos indicados pelos outros, e confusão se estabelece. Varios caminhos são apontados, caminhos contraditórios, as vozes se misturam e de repente ninguem mais sabe para onde está indo.

Começam a surgir teorias de que o barracão não tem porta alguma, de que estão perdidos não em um barracão, mas sim num imenso universo negro sem fim. Outros dizem que estam todos mortos, e que as vozes são de “Demonios” querendo levar almas para o ‘inferno’. Enquanto outros dizem que na verdade são de anjos tentando indicar o caminho do céu.

Chega um momento que todos estão atordoados com a gritaria de opiniões, algumas brigas se iniciam entre pessoas que se encontram. Os ânimos estão quentes e tensos.

Os mais fracos desistem, sentam no chão e choram desesperados e perdidos… sem rumo.

Até que alguém abre a porta, a luz aponta agora o real caminho para todos, dando um alivio e pondo um fim na gritaria.

A frente da porta estava a comemorar um surdo por ter encontrado a saída.

Na vida também é assim, estamos todos buscando um caminho, e a partir do momento em que começamos a não ouvir o caminho que os outros estão seguindo, temos paz suficiente para encontrar o nosso sucesso.

Parábola da Carroça Vazia

20/03/2010

Certo dia, o pai caminhava pelo bosque com o filho e de repente disse:

– Vem vindo uma carroça.

O menino, surpreso, disse-lhe:

– Escuto o barulho do vento nas folhas das árvores, o canto dos pássaros, mais não ouço nenhuma carroça.

– Tente apurar os ouvidos e veja se consegue escutar, disse o pai.

E o menino, após alguns segundos de concentração, finalmente escutou:

– Sim, pai, ouço o barulho de uma carroça.

– Muito bem, é barulho de uma carroça vazia – Afirmou o pai.

O menino ficou mais uma vez surpreso.

Como o pai podia saber que a carroça estava vazia sem nem ao menos vê-la?

E perguntou-lhe:

– Como o senhor pode saber que esta vazia?

– É fácil perceber pelo barulho que ela faz – respondeu o pai. Quanto mais vazia maior é o barulho. Assim são também as pessoas, meu filho.

Quanto mais falam, mais agridem os outros e não param para escutar, mais vazias são.

O menino cresceu e levou consigo este importante ensinamento:

Fale pouco, ouça mais, aprenda sempre. Mantenha o equilíbrio e a serenidade em quaisquer situações. Cuidado para não ser uma carroça vazia.

Parábola da Borboleta

20/03/2010
.
A lição da borboleta

“Um dia, uma pequena abertura apareceu num casulo; um homem sentou e observou a borboleta por várias horas, conforme ela se esforçava para fazer com que seu corpo passasse através daquele pequeno buraco.

Então pareceu que ela havia parado de fazer qualquer progresso. Parecia que ela tinha ido o mais longe que podia, e não conseguia ir mais. Então o homem decidiu ajudar a borboleta: ele pegou uma tesoura e cortou o restante do casulo.
A borboleta então saiu facilmente.

Mas seu corpo estava murcho, era pequeno e tinha as asas amassadas.
O homem continuou a observá-la, porque ele esperava que, a qualquer momento, as asas dela se abrissem e esticassem para serem capazes de suportar o corpo que iria se afirmar a tempo. Nada aconteceu!

Na verdade, a borboleta passou o resto de sua vida rastejando com um corpo murcho e asas encolhidas. Ela nunca foi capaz de voar.

O que o homem, em sua gentileza e vontade de ajudar não compreendia, era que o casulo apertado e o esforço necessário à borboleta para passar através da pequena abertura era o modo pelo qual Deus fazia com que o fluido do corpo da borboleta fosse para as suas asas, de forma que ela estaria pronta para voar uma vez que estivesse livre do casulo. Algumas vezes, o esforço é justamente o que precisamos em nossa vida.

Se Deus nos permitisse passar através de nossas vidas sem quaisquer obstáculos, ele nos deixaria aleijados. Nós não iríamos ser tão fortes como poderíamos ter sido. Nós nunca poderíamos voar.
Eu pedi forças… e Deus deu-me dificuldades para fazer-me forte.
Eu pedi sabedoria… e Deus deu-me problemas para resolver.
Eu pedi prosperidade… e Deus deu-me cérebro e músculos para trabalhar.
Eu pedi coragem… e Deus deu-me obstáculos para superar.
Eu pedi amor…
e Deus deu-me pessoas com problemas para ajudar.
Eu pedi favores…
e Deus deu-me oportunidades.
Eu não recebi nada do que pedi… mas eu recebi tudo de que precisava.”

Viva a vida sem medo, enfrente todos os obstáculos e mostre que você pode superá-los. Envie esta mensagem a seus amigos e mostre o quanto você se importa com eles. Envie isto a todo mundo a quem você considera um AMIGO, mesmo que isso signifique mandar para a mesma pessoa que lhe enviou. Se esta mensagem voltar para você, pode ficar certo de que o seu círculo de amizade é composto de verdadeiros amigos.